Lanche de ovo com tomate e queijo

A origem do sanduíche e como ele se modernizou


A origem do sanduíche e como ele se modernizou

Em um domingo no parque, em viagens pelo mundo, no café da manhã, ou à tarde. Com café, com chá, com suco, incrementando com queijo, com maionese, com salada, com carne. Ele sempre está lá. O sanduíche é uma das formas mais populares de comer no Ocidente. E não é de hoje.

O sanduíche é definido pelo dicionário de Oxford como “uma comida que consiste em dois pedaços de pão com algo entre eles, ingerido como uma refeição rápida e prática”. Mas quem foi o primeiro a pensar nessa ideia tão simples e eficiente de cortar o pão e colocar um recheio no meio?

Não há uma resposta certa. A mais comum é atribuída a John Montagu, 4° Conde de Sandwich (como é chamado o lanche em inglês), que viveu na Inglaterra durante o século 18. Ele era um aristocrata apaixonado por jogos de cartas. Era tão apaixonado que não queria parar nem para ir jantar ou almoçar. Pedia então para trazerem um pedaço de carne no meio de duas fatias de pão.

As coisas não mudaram muito desde então. Até hoje, muita gente que quer praticidade, sabor, versatilidade e rapidez pega um sanduíche para comer. Desde então, o sanduiche continua firme e forte, sempre renovando a sua tradição com inovações no recheio, na forma de preparo, ou nos acompanhamentos. 

A modernização do sanduíche e a maionese

Nos Estados Unidos, o sanduíche começa a aparecer nos livros já em 1816. As receitas não falavam apenas da carne fria, mas também de queijos, frutas, nozes e cogumelos. Já no século 20, Richard Hellmann criava sua delicatessen em Nova York. Inicialmente, ele conquistou os EUA vendendo a verdadeira maionese como um molho para saladas. Mas foi apenas uma questão de tempo para que as pessoas descobrissem que maionese e sanduíche também foram feitos um para o outro.

Hoje o sanduíche se modernizou e está mais presente do que nunca em nossas vidas. Há diversos tipos de pães e de recheios para se colocar no meio de duas fatias. Há os vegetarianos, os de carne, os quentes e os frios. A única constante é: a maionese sempre cai bem, seja dentro ou ao redor. Afinal, quem nunca colocou maionese em um hambúrguer, em um bauru, ou em um americano? Qualquer sanduíche fica especial com um toque de maionese. E a Hellmann's está há um século colaborando com essa deliciosa prática.

Assim como o sanduíche evoluiu, muitas das receitas também se transformaram. Em um país como o Brasil, onde as pessoas adoram inventar novas formas de comer, é claro que os lanches tradicionais também iriam se transformar. 

Um dos mais populares sanduíches ocidentais, o Club Sandwich era muito famoso em resorts e clubes do século 19 nos EUA. O original é feito com pão, peito de frango, bacon, tomate, alface e maionese. Mas há pequenas variações que podem fazer toda a diferença. Além da maionese Helmann’s, você pode dar um toque mais picante com páprica, seguir a inspiração indiana do curry ou inovar com um suco de laranja.

Outro sanduíche muito tradicional que faz parte da vida dos brasileiros é cachorro quente. Seja na rua, na lanchonete ou em casa, o pão com salsicha é um dos sanduíches mais rápidos, tradicionais e saborosos que conhecemos. Diferente dos estadunidenses, nosso cachorro quente costuma ser mais elaborado: batata palha, milho, ervilha e diversos outros ingredientes são bastante comuns. A receita varia muito de região para região do Brasil, mas sempre vai bem com mostarda, ketchup e maionese Hellmann's. Como sabemos, mais ingredientes não é sinônimo de qualidade: o que importa mesmo é dar seu toque pessoal à receita.